22 de novembro de 2006

Páginas da minha vida

Quem tem visto televisão ultimamente vai concordar comigo: está tudo uma bosta!
As novelas do Manoel Carlos sempre foram legais, mas essa tá pisando na bola feio.
O que dizer de um casal de adolescentes que demora tanto para dar o primeiro beijo, fica naquela enrolação por muitos capítulos, mas quando surge a primeira oportunidade, logo vai para os finalmente?
Aquele Bira-Bebum que já tá dando no saco...
Aquela Helena forçando tudo que é escola para aceitar a filha com síndrome de down. Acho que qualquer pessoa provida de bom senso sabe que não é tão fácil assim pôr uma pessoa com algum tipo de deficiência no meio de quarenta alunos normais, ou sem a deficiência (não quero ser processada)...
Aquela Tônia-Braga-chata-do-caramba. Sem comentários.
Pô, se eu for falar de todos os chatos dessa novela, vou ficar aqui por horas, e também vou estar enchendo o saco de meus leitores, que além de ter que aturar a novelinha "paia" na tv, vão tê-la aqui também.
Então há alguns dias tenho boicotado a televisão do meu quarto, minha amiguinha de todas as noites, mas não tá dando mais. Tenho o poder de mudar de canal, mas nem isso dá para fazer. Melhor é desligar mesmo!
Estou precisando urgentemente de uma tv á cabo, mas enquanto ela não chega aqui, vou fazendo o que dá prá fazer nessas horas.

Quem acompanha essas páginas da minha vida se surpreende com as minhas palavras, mas sempre garanto que está tudo bem. Tá, tudo bem, minha vida não está tão distante dos draminhas propostos pelo Maneco, mas não quero deixar ninguém preocupado, não quero meus "net-espectadores" se aborrecendo, quero trazer alegrias, risadas, bons momentos. Quero sempre dar o melhor de mim. Desculpe se ás vezes fico impossibilitada, mas vou melhorar, pode escrever!

Estou lendo O Zahir, do Paulo Coelho.
No início não estava gostando muito, pois não era romântico, ao contrário. Mas no dia que comecei a ler, fiquei impressionada com as primeiras 35 páginas, que relatavam coisas que não queremos nunca ver, mas que estão todos os dias na nossa vida. Coisas que são muito eu, Samy, mulher (?) que vos escreve. Parecia que era eu a autora.
Será que está nascendo um outro ídolo dentro de mim, assim como O Renato Russo foi, e ainda é?
Coisa louca esse negócio de amar as palavras, de se identificar com o que outras pessoas escrevem a respeito do mundo, do amor, da vida. Fico pensando se somos realmente diferentes uns dos outros...Na verdade somos todos iguais: queremos encontrar a cara-metade, queremos mudar o mundo, queremos ser notados, realizar nossos sonhos...
Já estou nas últimas páginas e gostando mais, pois estou aprendendo algumas coisas sobre o Amor, essa energia maravilhosa que move o mundo e a minha vida.

Lembro de quando conheci meu marido: ficamos apenas quatro dias juntos e tive que deixá-lo para trás e voltar prá minha vida em outro lugar. Então começamos nos escrever, usar o telefone quase todos os dias, e a cada dia eu ficava mais á fim, mais envolvida...por ele? Principalmente por suas palavras. Eram lindas, me faziam feliz, esquecer dos problemas do dia-a-dia, das aulas chatas de Química, da louça do almoço que eu tinha que lavar todos os dias, das briguinhas familiares, das meninas metidas que eu odiava, enfim...
Naqueles momentos era só dele e ele só meu.
Sinto saudades do passado, mas prefiro viver meu presente.
Ainda hoje, quando estamos juntos, continuo esquecendo o dia difícil que tive, as pir...mulheres modernas que trabalham com ele, o trabalho que tive com as crianças e com a casa...
Ainda hoje quero ser só dele e que ele seja só meu, e que não haja nada mais importante que o amor que nos uniu e continua presente, sempre, sempre...
Muito tempo se passou desde aqueles primeiros quatro dias e eu continuo aqui, morrendo de amor, por ele e pelas palavras de qualquer pessoa que entenda o que sinto. Ou que pelo menos ouça o que tenho a dizer.
Obrigada por estar aqui agora!!!

Mùsica desse momento:

A Nosso Favor (Maskavo)

Quando estou junto a você
A minha alma não quer partir
Eu faço tudo o que posso
Pra gente se entender

Não compreendo quando você
Se esforça tanto pra resistir
É só você que tem
O melhor de mim

Faço sempre o seu jogo
Mas estou disposto a vencer

A nosso favor
Todos os bons pensamentos estão
A nosso favor
Novos dias que ainda virão
A nosso favor
O prazer dessa vida
A nosso favor
Toda a força divina

Quando você quiser ter alguém
Pra toda hora poder contar
Eu estarei ao seu lado
Pra te proteger

Não sou perfeito, eu tento acertar
Também me esforço pra conseguir
Dizer palavras sinceras pra te fazer sorrir

Faço sempre o seu jogo
Mas estou disposto a vencer

Um comentário:

Compadre. disse...

Eu pensei ser o unico telespectador descontente com a novela, estava ate me achando chato demais em meus comentarios, hoje mesmo comentei com a minha rainha o quanto esta dificil parar a frente da tv para assistir esta novela medonha, e uma judiaçao realmente um desperdicio, porem para alguma coisa esta novela serve virou assunto entre voce escritora e eu leitor, e posso afirmar com toda a certeza de que voce e uma escritora muito bem humorada, assim passo meu tempo desfrutando de palavras doces e de assuntos que vao da novela chata ate o comentario realista de uma boa leitura.O mais importante do dia foi ler oque voce escreveu sobre amor, hoje em dia e cada vez mais raro encontrar pessoas que ainda falam com entusiasmo do amor, essa palavra e o conceito que ela representa esta cada dia mais desgastada pela arrogancia e falta de sensibilidade da alma humana.Continue falando de amor, continue amando com todas as suas forças e escrevendo sobre o amor isso e poetico e fonte de inspiraçao para aquele que escreve e um banho na alma daquele que le.Definitivamente a globo perdeu um telespectador da novela das 20:00 e voce ganhou um leitor de carteirinha.




Emerson de Almeida Rosa.